March 28, 2018

March 1, 2018

September 22, 2017

September 8, 2017

Please reload

Posts Recentes

Amor Silencioso

March 28, 2018

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Somos Livres na medida em que Amamos

August 17, 2017

 

Seu relacionamento amoroso tem feito você crescer? O sentido espiritual de um relacionamento amoroso, tirando todo o romantismo, é ser um material de escola que te ensina a amar, a ser livre e a deixar o outro livre. Somos livres na medida em que amamos. Essa frase estava escrita em um cartão que recebemos de presente no nosso casamento há 21 anos, naquele momento não entendia a profundidade dessa afirmação. 

O objetivo maior de um relacionamento amoroso é sustentar o êxtase. É sustentar a conexão da energia sexual com o coração aberto: o encontro de duas correntes positivas, dois sins. Esse encontro aponta a direção da suprema liberdade e só é possível se existir amor e liberdade. O êxtase se torna permanente quando o amor não sai do seu coração por nada. 

Amar exige firmeza do espirito e sabedoria. Só é possível conhecer o amor amando. 

Prem Samit Janaina Benke e Deva Saduh Eik Benke, uma história desde 1995 e to be continued... 
17 de Agosto de 1996, celebrávamos nossa união em uma cerimônia espontânea, um casamento lindo, no sítio em que hoje facilito os grupos de meditação, entre nossos amigos próximos e familia... muito amor. 
De lá pra cá tantas histórias, lugares, mu-danças, aventuras, descobertas, filhos, desafios, nem erros e nem acertos - apenas experiências que escolhemos vivenciar, toda uma vida em constante transformação, livres, cultivando juntos a impermanência e transitoriedade da vida e ao mesmo tempo nos redescobrindo eternos a cada dia, nos experimentando, transcendendo e indo sempre além. 
A paixão se transforma em compaixão, a aceitação em perdão, o amor faz essa alquimia libertando o passado e respirando o amor no momento presente, do amor sexual à Unyo mística, a morte do ego e a fusão dos princípios masculino feminino, Shiva Shakti, a evolução do amor como comunhão com divino em nós. Não é possível aprender a amar – o amor já existe, ele é a fragrância do ser. Mas a relação afetiva gera uma fricção que possibilita remover obstáculos que te impedem de amar.

 

Existem certas lições que você só pode aprender com suas relações amorosas, porque elas são catalizadoras de todas as suas feridas, de tudo aquilo que não está integrado dentro da sua constelação familiar. Todo seu passado é reeditado na relação amorosa para que você tenha a chance de integrá-lo, de curar essa dor no seu sistema.

Se você está com alguém, comece a se perguntar: por que estou nessa relação? O que me mantém aqui? Não tenha medo de ser honesto consigo mesmo. É só a mentira que cai, a verdade nunca cai. Se o que te mantém nessa relação é o amor a Deus e à liberdade é porque você está se expandindo na luz; está crescendo dentro do programa estabelecido pela sua alma. Se for assim, zele por essa relação, firmeza no amor, no perdão, na liberdade e siga em frente. Mas se você está na relação por outras razões, tenha coragem para olhar o que te mantém aí. Dê essa passo a seu favor. Pra que você rompa com a mentira e siga se expandindo. 

 

Todos nós estamos caminhando para esse lugar que é poder amar sem querer nada em troca. Mas se um casal já manifesta valores como autorresponsabilidade, honestidade, gentileza, transparência, espontaneidade, acolhendo a revelação do outro com intimidade, assim, pouco a pouco, a energia começa a se mover em direção ao coração e vai acontecendo a transição do velho para o novo casamento. Enquanto o velho casamento é baseado na ilusão de que suas necessidades serão atendidas pelo outro, forçando o outro a dar o que não tem para dar, o novo casamento acontece entre duas pessoas mais conscientes, fundamentado na parceria, verdade, autorresponsabilidade, onde, no mínimo, cada um consegue ser honesto consigo mesmo e com o outro, onde se consegue estar comprometido com a reciprocidade, que nada mais é do que estar com o outro de verdade, abrindo mão dos pactos de vingança, do jogo de disputas e acusações, manipulações, carências, dependências, caminhando juntos.

 

E é o amor que une, e um da força pro outro e estão juntos porque é bom estar juntos, um aprendendo com o outro, com humildade pra reconhecer as falhas quando tem dificuldade. Pra isso tem que ter honestidade, gentileza. Se os dois parceiros estão realmente se dedicando ao processo de autoconhecimento, é bem possível que fi quem juntos a vida toda. No entanto, às vezes, um dá um salto, o outro não. Ou por alguma razão ocorre um desencontro e a relação deixa de ser uma oportunidade mútua. Nesses casos, não tem sentido permanecer junto. Tirando todo o romantismo, o relacionamento é uma escola em contínuo processo evolutivo. Essa é a razão da existência. O relacionamento é um caminho, um meio, e não a estação de chegada. 

 

Amar exige firmeza do espirito e sabedoria. Relacionar-se é a verdadeira iniciação a respeito dos mistérios da vida, da morte e da natureza... é confiar profundamente que todo fim é um recomeço, e que todo processo, refletido ou não no outro, é parte de uma cura para si mesmo. 

 

Os relacionamentos são a grande escola da vida, porque é através das relações que temos a oportunidade de perceber e olhar para as partes de nós que negamos. O principal desafio do ser humano, hoje, é amar ao outro sem se machucar e sem machucar o outro. O medo do abandono talvez seja o nosso maior medo. Porque todos nós carregamos feridas geradas pelo desamor, por choque de exclusão, de abandono, de humilhação. E então continuamos reproduzindo isso, e acabamos contaminando nossas relações com esses impulsos inconscientes baseados nesses sentimentos. Somos Livres na medida em que Amamos... Livre de expectativas, de jogos de manipulação, de armadilhas do ego, de projeções, de carências, livre de máscaras e medos.

 

"Amor divino" está escrito em sânscrito em nossa aliança, e a cada ano traz novas significâncias às palavras... Juntos aprendemos que não se trata de amar o outro, mas trata-se de Ser amor, viver em sintonia com coração, manifestando nossa essência mais pura, nos desvelando, nos apoiando, inspirando, crescendo, despertando um ao outro nossas melhores versões, evoluindo juntos, ainda que cada um no seu caminho, no seu passo, sobre seus próprios pés, no seu tempo, no seu ritmo, às vezes como em retas paralelas em direção ao infinito... às vezes dançando juntos a vida, entregues ao fluxo da existência, em perfeita sintonia... e ao perdermos o ritmo, hoje sei que a Vontade é o impulso capaz de nos sintonizar à frequencia do Amor... mais de 20 anos depois nos (re)encontramos comprometidos em caminhar juntos por esta vida linda!!! 

 

Meu amor e gratidão a você, meu grande amor, por compartilhar essa jornada de amor nessa existência, por me inspirar a continuar me abrindo cada vez mais ao amor. 

E é só o começo... 

 

 

 



Do Amor / Von der Liebe 

Quando o amor vos chamar, segui-o,
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados;
E quando ele vos envolver com suas asas, cedei-lhe,
Embora a espada oculta na sua plumagem possa ferir-vos;
E quando ele vos falar, acreditai nele,
Embora sua voz possa despedaçar vossos sonhos
Como o vento devasta o jardim.
Pois, da mesma forma que o amor vos coroa,
Assim ele vos crucifica.
E da mesma forma que contribui para vosso crescimento,
Trabalha para vossa queda.
E da mesma forma que alcança vossa altura
E acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol,
Assim também desce até vossas raízes
E as sacode no seu apego à terra.
Como feixes de trigo, ele vos aperta junto ao seu coração.
Ele vos debulha para expor vossa nudez.
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas.
Ele vos mói até a extrema brancura.
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis.
Então, ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma
No pão místico do banquete divino.
Todas essas coisas, o amor operará em vós
Para que conheçais os segredos de vossos corações
E, com esse conhecimento,
Vos convertais no pão místico do banquete divino.
Todavia, se no vosso temor,
Procurardes somente a paz do amor e o gozo do amor,
Então seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez
E abandonásseis a eira do amor,
Para entrar num mundo sem estações,
Onde rireis, mas não todos os vossos risos,
E chorareis, mas não todas as vossas lágrimas.
O amor nada dá senão de si próprio
E nada recebe senão de si próprio.
O amor não possui, nem se deixa possuir.
Porque o amor basta-se a si mesmo.
Quando um de vós ama, que não diga:
“Deus está no meu coração”,
Mas que diga antes:
"Eu estou no coração de Deus”.
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor,
Pois o amor, se vos achar dignos,
Determinará ele próprio o vosso curso.
O amor não tem outro desejo
Senão o de atingir a sua plenitude.
Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos,
Sejam estes os vossos desejos:
De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho
Que canta sua melodia para a noite;
De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada;
De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor
E de sangrardes de boa vontade e com alegria;
De acordardes na aurora com o coração alado
E agradecerdes por um novo dia de amor;
De descansardes ao meio-dia
E meditardes sobre o êxtase do amor;
De voltardes para casa à noite com gratidão;
E de adormecerdes com uma prece no coração para o bem-amado,
E nos lábios uma canção de bem-aventurança.

Wenn die Liebe dir winkt, folge ihr, sind ihre Wege auch schwer und steil. 
Und wenn ihre Flügel dich umhüllen, gib dich ihr hin, Auch wenn das unterm Gefieder versteckte Schwert dich verwunden kann.
Und wenn sie zu dir spricht, glaube an sie, auch wenn ihre Stimme deine Träume zerschmettern kann wie der Nordwind den Garten verwüstetet.Denn so, wie die Liebe dich krönt, kreuzigt sie dich.
So wie sie dich wachsen lässt, beschneidet sie dich.
So wie sie emporsteigt zu deinen Höhen und die zartesten Zweige liebkost, die in der Sonne zittern,steigt sie hinab zu deinen Wurzeln und erschüttert sie in Ihrer Erdgebundenheit. 
Wie Korngarben sammelt sie dich um sich. 
Sie drischt dich, um dich nackt zu machen. 
Sie siebt dich, um dich von deiner Spreu zu befreien. 
Sie mahlt dich, bis du weiß bist.
Sie knetet dich, bis du geschmeidig bist; Und dann weiht sie dich ihrem heiligem Feuer, damit du heiliges Brot wirst für Gottes heiliges Mahl. 
All dies wird die Liebe mit dir machen, damit du die Geheimnisse deines Herzens kennen lernst und in diesem Wissen ein Teil vom Herzen des Lebens wirst. 
Aber wenn du in deiner Angst nur die Ruhe und die Lust der Liebe suchst, dann ist es besser für dich, deine Nacktheit zu bedecken und vom Dreschboden der Liebe zu gehen. 
In die Welt ohne Jahreszeiten, wo du lachen wirst, aber nicht dein ganzes Lachen, und weinen, aber nicht all deine Tränen. 
Liebe gibt nichts als sich selbst und nimmt nichts als von sich selbst. Liebe besitzt nicht, noch lässt sie sich besitzen; Denn die Liebe genügt der Liebe. 
Und glaube nicht, du kannst den Lauf der Liebe lenken, denn die Liebe, wenn sie dich für würdig hält, lenkt deinen Lauf. 
Liebe hat keinen anderen Wunsch, als sich zu erfüllen. 
Aber wenn du liebst und Wünsche haben musst, sollst du dir dies wünschen: Zu schmelzen und wie ein plätschernder Bach zu sein, der seine Melodie der Nacht singt. 
Den Schmerz allzu vieler Zärtlichkeit zu kennen. Vom eigenen Verstehen der Liebe verwundet zu sein;Und willig und freudig zu bluten. 
Bei der Morgenröte mit beflügeltem Herzen zu erwachenund für einen weiteren Tag des Liebens dankzusagen; Zur Mittagszeit zu ruhen und über die Verzückung der Liebe nachzusinnen; Am Abend mit Dankbarkeit heimzukehren; Und dann einzuschlafenmit einem Gebet für den Geliebten im Herzen und einem Lobgesang auf den Lippen. 

 

 

*Colagem de fotos de arquivo pessoal de 1995 a 2014 - Prem Samit Janaina Benke e Deva Saduh Eik Benke

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga